11.8.10

O que eu não consigo


Tento falar de ti, mas não consigo
As palavras ficam presas no nó da garganta
Na dor que agiganta a saudade que sinto
De você anjo-menino
Que se foi para as estrelas.

10 comentários:

Tania regina Contreiras disse...

É...anjos vão para as estrelas e deixam saudades, né?
A morte será sempre um mistério, mesmo desvendada?
Beijos,

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Esta´ no alto, perto das estrelas, onde os anjos merecem estar. Beijos

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Esta´ no alto, perto das estrelas, onde os anjos merecem estar. Beijos

ju rigoni disse...

Envolvente, tocante, - pleno da beleza triste que nos vem da saudade.

Ana Gaúcha disse...

Olá...Prazer!!!

Sempre teremos anjos nas estrelas.
Eles são as estrelas.
Anjos de asas ligeiras
a sobrevoar a gente....

bjssssssssssss
e Apareça!!!

Cristiano Contreiras disse...

Tudo é uma renovação, o que foi pode voltar com maior intensidade.

Ana Gaúcha _Professora disse...

Amei ver vc no Meu canto.
Obrigada peLas Palavras de Conforto!!!

Te convido a Ser seguidora se assim fazes gosto.

bjs Linda!!!

gorettiguerreira disse...

Olá poetisa delicada!
Lindo demais e forte seu artigo, quanto sua pessoa.
Estou em falta com os amigos por questões da vida.
Amo seus pensamentos querida Rita.
Bjs de luz.
Goretti

Desde que senti minha alma mais livre que tenho tido a coragem de olhar pra o tempo e acreditar que ele é mesmo o bálsamo para todas as dores que queremos curar, pois nos permite a sobreposição de imagens que modificam magicamente todo o cenário da vida. Perco tempo a falar do tempo. Ganho tempo com isso. Parece pouco, né? Mas é tanto que nem sinto o tempo passar!

Rafael Castellar das Neves disse...

Nossa...isso foi doído...

[]s

Arnoldo Pimentel disse...

Seu poema é de uma beleza triste que emociona, beijos.