9.10.10

Por que o urubu é da cor do quadro negro?


Não espere muito de mim agora. Espere nada. Não espere. Nem eu espero. Não espero mais por mim. Vou-me vivendo sem espera na esfera vida. Não há mais tempo pra espera. O tempo destempera o tédio em movimento ininterrupto de sonho vívido, vivido, sentido visceralmente. Aumente o som: a vida começou no meio. Há que se dar a essa cena começada um status de estréia de horário nobre. Tem que se buscar nobreza de conto de fadas, mas não se pode inventar nada. Tudo é de verdade. Se errar será tarde. Não haverá conserto, apenas a possibilidade de desculpas rápidas pra prosseguir a caminhada. É tudo muito urgente. É tudo muito quente, não pode segurar demais. Tem que se largar pra não queimar as mãos, mas é preciso sentir a “quenteza”, como fala alguém que amo. Tudo que acontece tem que entrar no coração e ser processado como experiência capaz de promover saltos cada vez mais altos, vôos que alcancem o próprio céu, mesmo que para isso tenha que se atravessar o inferno.
Não me espere. Sua espera me cansa, me angustia, me aprisiona num desejo que não me pertence. Não chego depois de. Não tenho mais hora pra ninguém a não ser pra mestra vida. Os ponteiros parados não param o tempo e andando não diminuem o que precisa ser longo. É tudo próprio, é tudo único, é tudo singular pra se inserir nessa pluralidade de expectativas. Já não fico e já não vou. Sou e vivo e me sigo, mas não me sigo cegamente. A vida vê mais que eu. A vida anda com pernas que alcançam o céu de Deus e não o meu pequeno céu. Estou saindo do sonho de Alice. Mas cá fora não há um manual de instruções. Tenho de volta o meu coração pra me guiar e já não tenho medo dos gritos das várias rainhas que querem cortar a minha cabeça. Minha cabeça voa sozinha. Já consigo perdê-la sem me desesperar para dar voz e vez ao coração. Tudo isso é um amontoado de palavras sem sentido pra quem ler, mas eu sei o quero dizer. Não se preocupe se não entender. É assim. Cada um tem a sua própria lógica.

9 comentários:

Zé Carlos disse...

Rita vc é um doce de menina......

Beijão do Zé Carlos

Tania regina Contreiras disse...

Não se preocupe em não ser compreendida, faz sentido, sempre faz. O nosso sentido, que afinal é o que conta!
Beijos,
Tânia

Jorge Pimenta disse...

as baixas expectativas são uma defesa natural: não efabular, não construir castelos de areia ou não desejar o infinito é legítimo (depende da lógica individual); deixar de sonhar é suicídio.
um beijinho, rita!

ju rigoni disse...

A vida não espera. Dança com o tempo. Gerundia. Vai passando... Venha o que vier, melhor não esperar. Melhor manter-se em movimento. Para não "dançar."

Bjs, Rita. Um bom fim de semana. Inté!

Malu disse...

Rita, a escrita é dialógica e sempre tem endereço certo por mais que desejemos provar o contrário...
De desentendimento teu texto não tem nada, muito pelo contrário, deixa aberto o caminho para reflexões...
Abraços

Arnoldo Pimentel disse...

Muito bom seu texto, não deixe de sonhar, procure sempre alcançar seus sonhos, beijos.

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Rita
Desculpe-me pela ausência , estava viajando.
Adorei o texto, inteligente e questionador.
Bjux

Marcantonio disse...

Sim, cada um tem a sua própria lógica, e opta por adequá-la ou confrontá-la com uma lógica dominante sempre empenhada em redigir esse manual de instruções que ainda não existe. E parece que você se nega à adequação pura e simples, ainda bem!

Abraço.

Petescadas disse...

Você é especial, e por isso deixo aqui um abraço especial.
lambeijokas